Iplan aprova identidade visual para o Parque Central

O projeto do Parque Central de Ponta Grossa, idealizado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Ponta Grossa (IPLAN), acaba de ter mais uma de suas etapas concluída. Foi aprovada a identidade de comunicação visual que será utilizada em toda a extensão do Parque. A logomarca faz menção a elementos da natureza e ao traçado da linha férrea, que é uma referência importante na história da cidade. O desenho é uma folha de árvore, com linhas que simbolizam a mobilidade, em referência à integração entre meio ambiente e área urbana.

A arquiteta e urbanista do IPLAN, Jamile Salim, explica que os mesmos princípios englobam as placas de sinalização, totens indicativos, banners e traçado do piso que serão instalados no Parque. Ela lembra que o projeto todo passa por uma série de outros itens. “Foram feitas diversas pesquisas, incluindo uma enquete com os usuários do Complexo Ambiental para identificar o uso que fazem dos espaços e perfil do público”, explica Jamile. Para realização das entrevistas, a Prefeitura e a empresa Vertrag Planejamento Urbano, contratada para elaboração do projeto, tiveram a colaboração de acadêmicos das Faculdades Ponta Grossa, Universidade Estadual de Ponta Grossa e UNOPAR.

Também nesta semana ocorreu a declaração de utilidade pública do espaço localizado atrás da Biblioteca Pública Municipal Prof. Bruno Enei, entre a Rua dos Operários e o início da Avenida dos Vereadores. No local será executada a primeira fase do Parque, denominada Setor Águas de Olarias, que compreende uma área de aproximadamente 49,3 mil metros quadrados, e que fica em uma Área de Preservação Permanente.

O projeto todo alia espaço urbano e preservação ambiental, contemplando a instalação de ciclovia, pista de caminhada, espaço para eventos, banheiros e faz menção a itens da história do Município.
O projeto irá amp

liar a área do atual Complexo Ambiental, ligando a região de Olarias até o Terminal Central de Ônibus. No local também está prevista a revitalização da Rua Fernandes Pinheiro. Com isso, espaços de importância histórica (como a Estação Saudade), social (como Restaurante Popular), cultural (Conservatório e Biblioteca) e de uso esportivo (como as quadras poliesportivas e o Centro Esportivo Para Pessoas com Deficiência Jamal Farjallah Bazzi) serão integrados. O Parque Central será o novo e completo espaço de lazer, esporte e socialização de Ponta Grossa.

BOX – Um grande projeto
O projeto conceitual do Parque Central proporciona um novo espaço de lazer e convívio para a cidade, prevendo o aproveitamento dos remanescentes ferroviários, que são as áreas que tinham trilhos. São áreas com baixa declividade, e por isso permitem a circulação através de ciclovias e de pedestres. Ocupando uma área total de 177 mil metros quadrados, o Parque Central será uma das principais opções de lazer ao ar livre em Ponta Grossa.

O projeto estabelece a divisão por fases da obra. A primeira fase é a do Setor Águas de Olarias e será composta por cerca de 49,3 mil metros quadrados; a fase 2 é o setor do Parque Ambiental e terá aproximadamente 47,5 mil metros quadrados, a fase 3 fica na região da Usina do Conhecimento e Restaurante Popular e possui cerca de 35 mil metros quadrados. A última fase engloba a região do Terminal Central, Shopping Popular Paraguaizinho e Rua Fernandes Pinheiro, em cerca de 45 mil metros quadrados.

Fonte: Prefeitura Municipal de Ponta Grossa.